Páginas

Diário de Bordo: Londres


Oi, gente! A fim de dar o pontapé inicial à seção do blog dedicada a viagens, decidi trazer um pequeno, ou nem tanto, relato de como foi a minha passagem por Londres, lar da família real mais pop do mundo! Mas não só de realeza é conhecida a cidade inglesa, não é mesmo? Além de ser incrivelmente charmosa, Londres me deixou ainda mais apaixonada graças aos seus cidadãos solícitos, divertidos e muito, mas muito educados.
  
Sendo a minha primeira viagem à Europa, fiquei tensa durante o meu voo de conexão para Londres, pois havia lido e ouvido de amigos a respeito da rigidez dos oficiais da imigração londrina. E além dessa minha “tensão pré-imigração”, a decolagem da minha conexão (Madrid-Londres) acabou atrasando em razão do atraso do meu primeiro voo (Rio-Madrid)! Ou seja, eu estava quase chorando de tanto medo. Entretanto, deu tudo certo! Quando cheguei ao imenso aeroporto de Heathrow, logo me encaminhei para a fila de imigração. Ao chegar ao balcão, fui atendida por uma moça que me fez perguntas bem simples e carimbou o meu passaporte. Porém, como a minha vida é cheia de emoções, descobri que a minha bagagem e a do meu namorado não haviam chegado de Madrid, local onde embarcamos no voo de conexão.  Resultado: ficamos praticamente o dia inteiro em Heathrow porque as nossas malas chegaram da Espanha apenas no final do dia, AÊ. Ao menos chegaram, não é mesmo?

Claro, não posso prosseguir com este relato sem dedicar uma salva de palmas ao meu namorado hehe. Afinal, ele teve que aguentar o meu desespero (destaque para o desespero) e também o meu rio de lágrimas ao receber a fatídica notícia de que as nossas malas ainda estavam em solo espanhol: Você é dez, amor

Pois bem, passado(s) o(s) susto(s) no aeroporto, pude dar início (finalmente) a minha inesquecível aventura pela terra da Rainha haha!



Quanto aos detalhes da minha estadia, aluguei um quarto utilizando a plataforma do Airbnb, um site de reservas incrível e organizado! Além disso, ele possui recursos bem interessantes, como o chat capaz de estabelecer o contato direto entre hóspede e anfitrião.  A minha experiência como viajante pelo Airbnb foi tão boa, que eu não poderia deixar de recomendá-lo a todos vocês. Se ainda não conhecem o site, cliquem aqui para conhecer essa maravilha do mundo das reservas!

Bem, fiquei hospedada na chamada Zona 3 de Londres, especificamente na região de Beckton, próxima às docas. Mesmo sendo um pouco distante do centro, a região é bem tranquila e de fácil acesso. Para chegar até a casa onde me hospedei, usei o DLR (Docklands Light Railway), uma espécie de trilho especial que cobre o lado leste da cidade de Londres.
   
Quanto ao clima, viajei durante o verão europeu e, para a minha surpresa, enfrentei um calorão em Londres!  Uma curiosidade é que os vagões do metrô não possuem sistema de refrigeração, então eu simplesmente me desmanchei em suor nos primeiros dias. #rjfeelings #ouquaseisso

Ainda sobre transporte, o metrô londrino foi uma mão na roda durante a minha viagem. Utilizando o meu Oyster Card (algo semelhante a um “bilhete único” aqui no Rio, porém mais inteligente), pude me locomover bastante através do metrô e, ao contrário do que muitas pessoas dizem, foi bem simples. O mapa do metrô de Londres pode parecer um bicho de sete cabeças quando observado pela primeira vez, mas com o tempo é possível notar como seu sistema é intuitivo e fácil de ser utilizado. Além disso, há sinalização suficiente nas próprias estações (e claro, “mind the gap between the train and the platform” se transformou em mantra pra mim).

Estação de metrô de Baker Street: Tão elegante quanto Sherlock Holmes   
A respeito do meu roteiro, decidi trazer apenas os pontos principais da viagem (a intenção era resumir, mas ficou grande do mesmo jeito). Durante os meus primeiros dias turistando, conheci alguns cartões postais da cidade, como a Tower of London e a incrível Tower Bridge. Próximo dali pude avistar a torre The Monument, uma homenagem ao incêndio de Londres ocorrido no século XVII. Também fiz uma visita rápida à igreja All Hallows By the Tower, a primeira e mais antiga da Inglaterra.


Tower Bridge  





Tower of London 
Aproveitando a deixa, gostaria de dar uma dica! Nessa região, ao lado da All Hallows By the Tower, há um restaurante muito bom chamado The Kitchen, com ótimos preços. Um café da manhã inglês completo no local, por exemplo, me custou apenas £6,50. Além desse preço convidativo, os atendentes foram bem simpáticos conosco! Eu super hiper recomendo ;)

Reservei o segundo dia da minha viagem aos estúdios do Harry Potter, no complexo de Leavesden. Na próxima semana, publicarei um post inteiramente dedicado a essa visita. Adianto a todos que foi uma experiência única, simplesmente perfeita! Por isso, fiquem ligados!

No meu terceiro dia, pude visitar o famoso museu de cera Madame Tussauds. O museu é enorme e dividido em diversas alas, reunindo figuras famosas do mundo do entretenimento e da história mundial. Quando fui ao Madame Tussauds, pude conferir a mostra de bonecos de cera do Star Wars e também o cinema 4D da Marvel.

Os Beatles disseminando amor pelo museu Madame Tussauds 

Neste mesmo dia, também fiz um passeio pelo lindíssimo Regent’s Park e conheci a Baker Street, a rua onde “habitou” um dos detetives mais famosos do mundo: Sherlock Holmes. Aos fãs dos livros do detetive, não percam a oportunidade de visitar o Sherlock Holmes Museum, que fica, obviamente, no número 221B da Baker Street hehe.

O jardim do Regent’s Park é uma verdadeira explosão de cores


Mais um pouquinho do Regent’s Park :)

Ao lado do museu do Sherlock, há também uma lojinha com produtos inspirados na história do detetive, tanto na literatura quanto nos filmes e seriados (gente, lá tem até livro com a biografia do Benedict Cumberbatch ♥). Achei a loja super legal, apesar dos preços dos produtos serem um tanto quanto salgados. Porém, se vocês garimparem um pouco por lá, poderão encontrar algumas lembranças com preços mais em conta.

Um dos produtos mais fofos (e mais caros, infelizmente) da lojinha do Sherlock Holmes 
No dia seguinte, fui me aventurar pelas feiras de rua de Camden Town e Notting Hill, e acabei me apaixonando pelas duas regiões. Em Camden Town, o lar da minha eterna musa Amy Winehouse (LINDA), há diversas feirinhas, mas o centro comercial mais conhecido é o Camden Lock Market. Tanto no Lock quanto nas demais feiras, há uma variedade imensa de produtos: roupas, souvenirs, quadros, joias, maquiagem... Enfim, se você gosta de pechinchar na hora de comprar, Camden Town é o seu lugar!  Lá também tem um mercado show de bola chamado Poundland, onde é possível encontrar inúmeros produtos a £1 e promoções absurdas. Eu, por exemplo, fui comprar um suco de garrafinha e sai com uma big garrafa d’água de graça. Poundland é só amor, gente!


No meio da tarde, fui para Notting Hill, região conhecida pelo Hugh Grant pela feira de antiguidades de Portobello Road. Nela, você pode encontrar desde máquinas fotográficas antigas até móveis coloniais, acreditem. Além disso, as casinhas coloridas e os músicos de rua de Portobello Road são um charme a parte.



No quinto dia, senti a emoção de ver de pertinho o Palácio de Westminster e seu famoso Big Ben, bem como a Abadia de Westminster, local onde o Príncipe Willian e a Princesa Kate Middleton se casaram. Após isso, dei uma volta na gigantesca London Eye e pude admirar Londres lá do alto. A sensação que tive ao observar a cidade inteira sob os meus pés é indescritível, valeu MUITO a pena.

A incrível e gigantesca London Eye



Claro, não poderia deixar passar próximo ao belíssimo e imponente Palácio de Buckingham, além de passear por dois dos parques reais: St. James’s Park e Green Park. O complexo de parques reais é I-MEN-SO! Eu andei, me perdi, andei e perdi de novo por lá haha. Conheci também o Hyde Park, mas deixei este para o meu último dia de viagem pela Europa. 




Ao final do dia, parti de ônibus para Liverpool, a cidade dos reis do iê iê iê: os Beatles! Obviamente, vou separar um post apenas para contar como foi o meu bate-e-volta por essa cidade encantadora. Por isso, nada de desgrudar do Entre Vírgulas, tá bem? Então tá bem :)

Nos meus últimos dias de Londres eu chorei, fui à National Gallery, dei uma relaxada na Trafalgar Square e uma conferida no centro comercial de Covent Garden. Pude caminhar também pela Leicester Square, região conhecida pelos seus inúmeros teatros. E gente, GENTE, o que é a loja M&M’s World entre a Leicester Square e a Piccadilly Circus? LOJA DOS M&M’S, MEU POVO. Que lugar incrível!


Depois dessas andanças, mais andanças! Para fechar o dia com chave de ouro, dei uma passeada pela Regent’s Street e também pela famosa Oxford Street, rua conhecida por suas diversas lojas de roupa, dentre elas as queridinhas e baratinhas Primark e H&M.

I’ve left my heart in London. É a frase que resume a minha viagem por esta cidade, que considero ser incrível em vários aspectos. Não há como ficar triste naquele lugar! E bem, se isso acontece, há sempre um músico talentoso em uma estação de metrô qualquer tocando algo como Stairway to Heaven. Não tem jeito, isso alegra o dia de qualquer um ♥ ♥

Espero que vocês tenham curtido este meu relato nada curto sobre Londres! Não deixem de conferir o Entre Vírgulas, pois ainda trarei o meu diário de bordo de Paris, a cidade do amour :3


Beijos e até a próxima! 

2 comentários :

  1. Londres é realmente linda, com seus castelos, palácios e igrejas antigas. Deve ter sido um sonho ver tudo isso, né? E essa roda (literalmente) gigante! Que linda!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Adália Sá | Não retire os créditos